quinta-feira, maio 25

O pêlo suave dos gatos bravos

Tinha o rosto marcado por uma vida inteira. Nem sequer enorme nas conquistas, apenas inquieta nos conteúdos e estreita nos compromissos. Como se fosse o Homem que sempre quis ser.

Tinha da posição erecta perante a vida a superlativa ideia anónima dos heróis antes do tempo. Porque só eles acertam no tempo certo.

Tinha preconceitos vários, amores a preceito e um extenso rol de trivialidades para contar em mundana conferência.

Tinha sobre os afagos ideias, não apenas à volta do sexo. Mas também.

Tinha o Mundo em seu redor para entretecer vontades nas lembranças. Tinha a raiva e a temperança em doses igualitárias.

Tinha amigos. Tinha cor. Voltava ao princípio sempre por religião informada. E era como um gato bravo eriçado à espera do pentear.

Morreu.

1 Comments:

de todas,a melhor homenagem.
respiremos as suas cinzas. bebamos o que de melhor nos deixou em herança. foi para isso que lutou toda a vida. prestemos então hoemenagem ao guerreiro.

By Anonymous Periscópio, at maio 25, 2006  

Post a Comment

Comments:
de todas,a melhor homenagem.
respiremos as suas cinzas. bebamos o que de melhor nos deixou em herança. foi para isso que lutou toda a vida. prestemos então hoemenagem ao guerreiro.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

´ BlogRating